segunda-feira, 5 de setembro de 2016

TRABALHANDO A INDEPENDÊNCIA QUE TANTO DESEJAMOS E QUE UM DIA OUTROS BRASILEIROS SONHARAM E DETERMINARAM COMO UM MARCO NA NOSSA HISTÓRIA.
VAMOS AVANTE SONHANDO E CONSTRUINDO NOSSA INDEPENDÊNCIA.




Texto de Protesto de um grito de Independência ainda sofrido

        INDEPENDÊNCIA OU MORTE





          Texto de reflexão de André Luiz, grito engasgado de cada cidadão brasileiro.

        INDEPENDÊNCIA OU MORTE




Texto de reflexão, de revolta de um povo que já não aguenta tantas injustiças neste Brasil
O rompimento com Portugal era desejável por grande maioria dos brasileiros, porém havia divergências por conta de existirem grupos sociais distintos: a aristocracia rural do sudeste, as camadas populares urbanas liberais radicais e por fim, a aristocracia rural do norte e nordeste, sem contar que para que Portugal reconhecesse oficialmente a independência de sua antiga colônia, exigiu uma indenização de dois milhões de libras esterlinas. Sem este dinheiro, D. Pedro I recorreu um empréstimo da Inglaterra, iniciando assim, o endividamento externo do Brasil.
Mas, e hoje? Cento e oitenta e cinco anos depois. Já temos independência? Somos autônomos? Qual o verdadeiro significado de independência?
Sem buscarmos uma resposta para esses questionamentos, no sete de setembro desfilamos pelas praças e avenidas o orgulho por essa “pátria amada Brasil”, como se ao ouvirmos o grito “do Ipiranga às margens plácidas” teríamos de fato conquistado a independência.
A independência não existe num país onde a política é determinada em grande parte, por mecanismos neoliberais; a independência não existe num país onde são fabricados milhões de analfabetos e desempregados; a independência não existe num país onde a exploração da mão de obra e da natureza é a fonte de riqueza da burguesia; a independência não existe num país onde não é questionada a venda ao capital financeiro internacional de um dos maiores patrimônios construídos com dinheiro público (Companhia Vale do Rio Doce); a independência não existe num país onde a igualdade, ainda que “com braço forte”, não é conquistada; a independência não existe num país onde a impunidade e a corrupção são notícias diárias; a independência não existe num país onde “tudo é fonte de lucro: mídia e educação, saúde e cultura, esporte e religião”; a independência não existe num país onde a população não busca a independência.
Brasil, país “gigante pela própria natureza, és belo, és forte, impávido colosso, e o teu futuro...”.
Este futuro está entregue a quem? À elite burguesa? Aos opressores? À base corruptível da política brasileira? Ao atual modelo hegemônico?
Queremos acreditar que não! Hoje, o que nos alimenta são nossos sonhos, nossas utopias, mas ainda “verás que um filho teu não foge à luta”, e queremos “independência ou morte”.

André Luiz Silva Azevêdo

sábado, 13 de agosto de 2016

COMO SURGIU O DIA DOS PAIS

De acordo com as professoras Fernanda Braga Chaveiro de Assis e Leia Almeida da Silva Costa, a data surgiu mesmo para homenagear os pais. Fernanda explica que, em 1909, uma menina americana chamada Sonora Louise Dodd resolveu criar a data em Washington, nos Estados Unidos, para mostrar a seu pai, John Bruce Dodd, que ela tinha orgulho de sua superação. Ele havia perdido a esposa em 1898, que faleceu ao dar à luz o sexto filho. John criou todos sozinho, sendo sempre carinhoso e responsável, o que motivou Sonora.
A menina escolheu o dia do aniversário do pai, 19 de junho, como a data comemorativa. Em 1924, o presidente Calvin Coolidge apoiou a ideia nacionalmente. Mas foi só em 1966 que o então presidente Lyndon Johnson oficializou o terceiro domingo de junho como Dia dos Pais nos Estados Unidos.

Aqui no Brasil, a data é festejada desde 1953, quando o publicitário Sylvio Bhering importou a ideia. De acordo com a professora Leia, o primeiro Dia dos Pais brasileiro foi comemorado no dia 14 de agosto, coincidindo com o aniversário de São Joaquim, considerado o patriarca da família. Desde então, oficializou-se homenagear os pais no segundo domingo de agosto.Em muitos países, o Dia dos Pais ainda é comemorado no terceiro domingo de junho. Mas há, pelo menos, 19 datas para celebrar esse dia ao redor do mundo.
Fonte das informações: O Guia dos Curiosos .

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

É hoje que Brasil se mostra ao mundo na Abertura das
Olimpíadas Rio-2016 e nós estaremos torcendo para tudo dá certo.
É o CRL Invictus torcendo pelo Brasil e pelo o mundo neste momento.

 
OLIMPÍADAS 2016

Abertura das Olimpíadas 2016 acontecerá na cidade do Rio de Janeiro nesta sexta, 05/08, com horário de início previsto para às 19h15 com a realização de um show preliminar.
No entanto, o horário da cerimônia, propriamente, será pontualmente às 20h e irá durar até, aproximadamente, 23h20.

A cerimônia de abertura dos jogos Olímpicos no Brasil acontecerá no Estádio do Maracanã e terá transmissão ao vivo pela Rede Globo a partir das 20h (horário de Brasília).

Quem levará a bandeira do Brasil na Abertura Rio 2016?
Yane Marques será a porta-bandeira na abertura das Olimpíadas 2016 no Brasil.  
Quem acenderá a Pira Olímpica na Abertura dos Jogos Olímpicos?
Pelé não estará presente por motivo de saúde e ainda n~~ao se sabe quem acenderá a Pira Olímpica. A
Atrações da Abertura das Olimpíadas RJ 2016
As atrações musicais que já têm presença confirmada na abertura das olimpíadas são:
Anitta, Paulinho da Viola, Caetano Veloso, Elza Soares, Ludmilla, Gilberto Gil, Diogo Nogueira, Karol Conka, Wilson das Neves, Zeca Pagodinho, Marcelo D2 e Wesley Safadão.
O horário e outros detalhes de suas participações na cerimônia de abertura não foram divulgados.
Também já foi confirmada a presença de diversos artistas na Abertura Rio 2016, entre eles, Gisele Bündchen que fará um desfile numa passarela, que na verdade será criada virtualmente a partir de uma projeção do calçadão de Copacabana. O desfile terá como canção de fundo a música “Garota de Ipanema” de Tom Jobim. 
Muitos ritmos farão a trilha sonora da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos: samba, funk, MPB, rap, entre outros. Haverá ainda: efeitos especiais, plantação de mudas, voo de uma réplica do avião 14 Bis, escolas de samba, execução do hino nacional com Paulinho da Viola e muito mais.
Produção, Coreografias e Tema da Abertura Rio 2016
O time de diretores criativos para as Olimpíadas 2016 é composto por Andrucha Waddington, Abel Gomes, Daniela Thomas e Fernando Meirelles.
A promessa deles é fazer a maior festa já realizada no Brasil com uma superestrutura e muitos efeitos especiais. Como trata-se de um evento mundial, estima-se que bilhões de pessoas assistirão à cerimônia de abertura das Olimpíadas Rio 2016.
O tema da abertura será a história do Brasil e como se deu a construção da identidade do povo brasileiro, destacando a migração e a miscigenação.
A Deborah Colker é a responsável pela direção das coreografias da Abertura das Olimpíadas.
Fonte dessas informações: https://confiramais.com.br

RETORNO ESCOLAR - 2º. SEMESTRE 2016

RETORNO ESCOLAR 2º. SEMESTRE

NOSSA SEMANA FOI SHOW!

NÃO FALTOU ALEGRIA, DESCONTRAÇÃO, SORRISOS E BRINCADEIRAS.

NO CRL INVICTUS EDUCAÇÃO É ALGO MUITO SÉRIO.  É CONSTRUÇÃO INTEGRAL DO SER EM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO.


As crianças ficaram atentas a bela fábula:

A tartaruga e a lebre
 Teatro CRL INVICTUS apresenta a peça
A Tartaruga e a Lebre.
Foi um corrida sensacional!
O Elenco contou com a participação das professoras Ana Letícia (Infantil II)
e Dinara (Infantil IV).

Após a teatralização as protagonistas questionaram alguns aspectos da fábula.


No momento da rodinha não faltou as lindas músicas de acolhida e novo repertório também.
Já retornamos folcloricamente...brincando, cantando os folguedos do nosso folclore.
Cantigas de roda.

 Parabéns a Professora Maeli Braz do Infantil II - B, pelo seu aniversário!
 O momento é de descontração e aprendizado então: Não atire o pau no gato!
 Sejam todos bem-vindos!
 Olha  a galerinha do Infantil II A - B aí gente!
 Olha  a galerinha do Infantil III  aí gente!
  Olha  a galerinha do Infantil IV aí gente!
  Olha  a galerinha do Infantil V aí gente!
 Olha  a galerinha do Infantil V aí gente!

 Olha a galerinha da Educação Infantil do CRL aí gente!



Aos coleguinhas que faltaram essa primeira semana sentimos sua ausência, volte logo!

quarta-feira, 27 de julho de 2016

O ATO DE BRINCAR

O ATO DE BRINCAR

Brincar é uma importante forma de comunicação, é por meio deste ato que a criança pode reproduzir o seu cotidiano.O ato de brincar possibilita o processo de aprendizagem da criança, pois facilita a construção da reflexão, da autonomia e da criatividade, estabelecendo, desta forma, uma relação estreita entre jogo e aprendizagem.
Para definir a brincadeira infantil, ressaltamos a importância do brincar para o desenvolvimento integral do ser humano nos aspectos físico, social, cultural, afetivo, emocional e cognitivo. Para tanto, se faz necessário conscientizar os pais, educadores e sociedade em geral sobre à ludicidade que deve estar sendo vivenciada na infância, ou seja, de que o brincar faz parte de uma aprendizagem prazerosa não sendo somente lazer, mas sim, um ato de aprendizagem. Neste contexto, o brincar na educação infantil proporciona a criança estabelecer regras constituídas por si e em grupo, contribuindo na integração do indivíduo na sociedade. Deste modo, à criança estará resolvendo conflitos e hipóteses de conhecimento e, ao mesmo tempo, desenvolvendo a capacidade de compreender pontos de vista diferentes, de fazer-se entender e de demonstrar sua opinião em relação aos outros. É importante perceber e incentivar a capacidade criadora das crianças, pois esta se constitui numa das formas de relacionamento e recriação do mundo, na perspectiva da lógica infantil.



AS IMPLICAÇÕES DO ATO DE BRINCAR NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

Brincar, segundo o dicionário Aurélio (2003), é "divertir-se, recrear-se, entreter-se, distrair-se, folgar", também pode ser "entreter-se com jogos infantis", ou seja, brincar é algo muito presente nas nossas vidas, ou pelo menos deveria ser.
Segundo Oliveira (2000) o brincar não significa apenas recrear, é muito mais, caracterizando-se como uma das formas mais complexas que a criança tem de comunicar-se consigo mesma e com o mundo, ou seja, o desenvolvimento acontece através de trocas recíprocas que se estabelecem durante toda sua vida.Assim, através do brincar a criança pode desenvolver capacidades importantes como a atenção, a memória, a imitação, a imaginação, ainda propiciando à criança o desenvolvimento de áreas da personalidade como afetividade, motricidade, inteligência, sociabilidade e criatividade.
Vygotsky (1998), um dos representantes mais importantes da psicologia histórico-cultural, partiu do princípio que o sujeito se constitui nas relações com os outros, por meio de atividades caracteristicamente humanas, que são mediadas por ferramentas técnicas e semióticas. Nesta perspectiva, a brincadeira infantil assume uma posição privilegiada para a análise do processo de constituição do sujeito, rompendo com a visão tradicional de que ela é uma atividade natural de satisfação de instintos infantis. Ainda, o autor refere-se à brincadeira como uma maneira de expressão e apropriação do mundo das relações, das atividades e dos papéis dos adultos. A capacidade para imaginar, fazer planos, apropriar-se de novos conhecimentos surge, nas crianças, através do brincar. A criança por intermédio da brincadeira, das atividades lúdicas, atua, mesmo que simbolicamente, nas diferentes situações vividas pelo ser humano, reelaborando sentimentos, conhecimentos, significados e atitudes.
De acordo com o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 27, v.01):"O principal indicador da brincadeira, entre as crianças, é o papel que assumem enquanto brincam. Ao adotar outros papéis na brincadeira, as crianças agem frente à realidade de maneira não-literal, transferindo e substituindo suas ações cotidianas pelas ações e características do papel assumido, utilizando-se de objetos substitutos."
Zanluchi (2005, p. 89) reafirma que “Quando brinca, a criança prepara-se a vida, pois é através de sua atividade lúdica que ela vai tendo contato com o mundo físico e social, bem como vai compreendendo como são e como funcionam as coisas.” Assim, destacamos que quando a criança brinca, parece mais madura, pois entra, mesmo que de forma simbólica, no mundo adulto que cada vez se abre para que ela lide com as diversas situações.
Portanto, a brincadeira é de fundamental importância para o desenvolvimento infantil na medida em que a criança pode transformar e produzir novos significados. Nas situações em que a criança é estimulada, é possível observar que rompe com a relação de subordinação ao objeto, atribuindo-lhe um novo significado, o que expressa seu caráter ativo, no curso de seu próprio desenvolvimento.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

A boa educação é a base para uma nação evoluída e justa. Isso quer dizer que, se as pessoas têm oportunidade de acesso a uma educação de qualidade, aumentam as chances de elas terem uma vida digna e de exercerem a cidadania de forma plena, colocando em prática tanto seus direitos como suas obrigações. A educação é um direito fundamental de todos os brasileiros e um dever do Estado. É o que está escrito na Constituição (a Lei Maior do nosso país). Além disso, a educação abre portas para outros direitos, como saúde, trabalho e lazer. Portanto, o tema educação engloba toda a sociedade brasileira, em todas as idades (crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos), nos mais variados níveis de ensino (educação infantil, educação básica, educação de jovens e adultos, educação universitária), em todas as classes econômicas e em todos os estados brasileiros. Educação na prática: o papel da família e da escola O processo de educação começa com a família: os pais ensinam aos filhos o que julgam ser certo e como devem se comportar. Isso acontece principalmente com o exemplo que dão no dia a dia, por meio de sua forma de agir dentro de casa e de se relacionar com o mundo de forma geral. Mas a estrutura familiar é proporcionada por quem cria e convive com a criança ou adolescente, e não necessariamente pelos pais biológicos. O fundamental é a criança se sentir amada e ter referências e ensinamentos que a ajudem a "ler o mundo" e a se comportar dentro e fora de casa. A figura da família é complementada pela escola, que, além de ensinar a vida em sociedade, habilita o jovem para escolher um ofício e ser economicamente produtivo. Também é importante escolher uma área de atuação e se especializar, pois as novas tecnologias e conhecimentos exigem uma formação cada vez maior dos candidatos aos novos empregos. Os problemas da educação no Brasil Boa parte da população não tem acesso ao Ensino Fundamental. Erradicar o analfabetismo é uma meta que o Brasil ainda não alcançou. Por outro lado, nas últimas décadas, houve redução do analfabetismo e elevação do nível de instrução da população. Alguns dos principais problemas que a educação enfrenta no Brasil são: os prejuízos relacionados com desvio e má aplicação do dinheiro público; a ineficiente fiscalização dos órgãos responsáveis, tanto da aplicação dos recursos públicos, quanto no cumprimento das normas e diretrizes ditadas pelo MEC para o funcionamento das instituições de ensino superior.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

22 DE ABRIL DIA DO DESCOBRIMENTO DO BRASIL E DIA DO PLANETA
O Dia da Terra foi criado pelo senador norte-americano Gaylord Nelson, no dia 22 de Abril de 1970, cuja finalidade é criar uma consciência comum aos problemas da contaminação, conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais para proteger a Terra. História A primeira manifestação teve lugar em 22 de abril de 1970. Foi iniciada pelo senador Gaylord Nelson, ativista ambiental, para a criação de uma agenda ambiental. Para esta manifestação participaram duas mil universidades, dez mil escolas primárias e secundárias e centenas de comunidades. A pressão social teve seus sucessos e o governo dos Estados Unidos criou a Agencia de Proteção Ambiental (Environmental Protection Agency) e uma série de leis destinadas à proteção do meio ambiente. Em 1972 se celebrou a primeira conferência internacional sobre o meio ambiente: a Conferência de Estocolmo, cujo objetivo foi sensibilizar aos líderes mundiais sobre a magnitude dos problemas ambientais e que se instituíssem as políticas necessárias para erradicá-los. O Dia da Terra é uma festa que pertence ao povo e não está regulada por somente uma entidade ou organismo, tampouco está relacionado com reivindicações políticas, nacionais, religiosas ou ideológicas. O Dia da Terra refere-se à tomada de consciência dos recursos naturais da Terra e seu manejo, à educação ambiental e à participação como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis. No Dia da Terra todos estamos convidados a participar em atividades que promovam a saúde do nosso planeta. tanto a nível global como regional e local. "A Terra é nossa casa e a casa de todos os seres vivos. A Terra mesma está viva. Somos partes de um universo em evolução. Somos membros de uma comunidade de vida independente com uma magnífica diversidade de formas de vida e culturas. Nos sentimos humildes ante a beleza da Terra e compartilhamos uma reverência pela vida e as fontes do nosso ser..." Surgiu como um movimento universitário, o Dia da Terra se converteu em um importante acontecimento educativo e informativo. Os grupos ecologistas o utilizam como ocasião para avaliar os problemas do meio ambiente do planeta: a contaminação do ar, água e solos, a destruição de ecossistemas, centenas de milhares de plantas e espécies animais dizimadas, e o esgotamento de recursos não renováveis. Utiliza-se este dia também para insistir em soluções que permitam eliminar os efeitos negativos das atividades humanas. Estas soluções incluem a reciclagem de materiais manufaturados, preservação de recursos naturais como o petróleo e a energia, a proibição de utilizar produtos químicos danosos, o fim da destruição de habitats fundamentais como as florestas tropicais e a proteção de espécies ameaçadas. Por esta razão é o Dia da Terra. Este dia não era reconhecido pela ONU até 2009, quando a mesma reconheceu a importância da data e instituiu o Dia Internacional da Mãe Terra, celebrado em 22 de abril.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

21 DE ABRIL DIA DE TIRADENTES FERIADO NACIONAL DIA DE ANIVERSÁRIO DA FUNDAÇÃO DE BRASÍLIA TIRADENTES A Inconfidência Mineira, ou Conjuração Mineira, foi uma tentativa de revolta abortada pelo governo em 1789, em pleno ciclo do ouro, na então capitania de Minas Gerais, no Brasil, contra, entre outros motivos, a execução da derrama e o domínio português. Foi um dos mais importantes movimentos sociais da História do Brasil. Significou a luta do povo brasileiro pela liberdade, contra a opressão do governo português no período colonial. No final do século XVIII, o Brasil ainda era colônia de Portugal e sofria com os abusos políticos e com a cobrança de altas taxas e impostos. Além disso, a metrópole havia decretado uma série de leis que prejudicavam o desenvolvimento industrial e comercial do Brasil. No ano de 1785, por exemplo, Portugal decretou uma lei que proibia o funcionamento de indústrias fabris em território brasileiro. Causas Neste período, era grande a extração de ouro, principalmente na região de Minas Gerais. Os brasileiros que encontravam ouro deviam pagar o quinto, ou seja, vinte por cento de todo ouro encontrado acabava nos cofres portugueses. Aqueles que eram pegos com ouro “ilegal” (sem ter pagado o imposto”) sofria duras penas, podendo até ser degredado (enviado a força para o território africano). Com a grande exploração, o ouro começou a diminuir nas minas. Mesmo assim as autoridades portuguesas não diminuíam as cobranças. Nesta época, Portugal criou a Derrama. Esta funcionava da seguinte forma: cada região de exploração de ouro deveria pagar 100 arrobas de ouro (1500 quilos) por ano para a metrópole. Quando a região não conseguia cumprir estas exigências, soldados da coroa entravam nas casas das famílias para retirarem os pertences até completar o valor devido. Todas estas atitudes foram provocando uma insatisfação muito grande no povo e, principalmente, nos fazendeiros rurais e donos de minas que queriam pagar menos impostos e ter mais participação na vida política do país. Alguns membros da elite brasileira (intelectuais, fazendeiros, militares e donos de minas), influenciados pela idéias de liberdade que vinham do iluminismo europeu, começaram a se reunir para buscar uma solução definitiva para o problema: a conquista da independência do Brasil.

terça-feira, 19 de abril de 2016

No dia 19 de abril, comemora-se o Dia do Índio no Brasil, data instituída em 2 de junho de 1943, durante o governo Getúlio Vargas. A definição da data foi uma consequência da realização do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México, em 19401. Durante o evento, que contou com a participação de diversas autoridades indigenistas, foi proposto aos países da América que se criasse um dia para celebrar esse povo e fazer da causa indígena um ponto de reflexão para toda sociedade.
Atualmente, estima-se a existência de mais de 200 povos indígenas no Brasil. Em sua grande maioria, pertencem a cinco grandes e diferentes complexos linguísticos culturais: Tupi, Jê, Aruak, Pano e Karibe. As terras ocupadas pelos índios correspondem a menos de 12% de todo o território brasileiro, essencialmente na região norte do país2. Estão concentrados principalmente na Amazônia Legal (Amazonas, Acre, Roraima, Rondônia, Mato Grosso e Pará)3.
O povo indígena afirma que sua cultura só é lembrada no dia 19 de abril, pois é nessa data que se afirma e apresenta ao mundo os antepassados históricos da cultura brasileira. Nessa ocasião, os índios são apresentados de forma estereotipada e genérica, com o arco e a flecha, o penacho e a oca. Essa foi e é a forma como são apresentados nos livros didáticos, como personalidades distantes da realidade atual do Brasil2.
Após a instituição da Constituição de 1988, os índios passaram a dispor de uma nova relação de forças com o Estado brasileiro, tendo o direito de manifestarem-se contra esse seu antigo tutor. Assim, após a adoção da Constituição, o povo indígena passou a utilizar a data para protestar por seus direitos. No dia 19 de abril de 2000, numa manifestação histórica pelos 500 anos da chegada dos europeus ao país, os índios ocuparam a bancada da Câmara dos Deputados e do Senado, em Brasília, para protestar contra a falta de compromisso do poder público com os direitos indígenas2.
Além de ser um grande tema de discussão política e social, a cultura indígena é celebrada por diversos meios culturais. O Museu do Índio, no Rio de Janeiro, possui um acervo e uma programação dedicados exclusivamente ao tema. Além disso, diversos filmes foram lançados para abordar o universo indígena, como Índia- A Filha do Sol, Caramuru – A Invenção do Brasil, O Guarani, Hans Staden, Iracema – A Virgem dos Lábios de Mel, Tainá, O Descobrimento do Brasil, entre outros. Na música, “Curumim Chama Cunhatã que eu Vou Contar (Todo Dia era Dia de Índio), do cantor Jorge Ben Jor, é uma das canções mais conhecidas em homenagem ao povo indígena.
Referências
Consultar http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-5540-2-junho-1943-415603-publicacaooriginal-1-pe.html, visto em 19/04/2015. LADEIRA, Maria Elisa; NASCIMENTO, Luiz Augusto. 19 de abril (1943) – Dia do Índio. In: Dicionário de Datas da História do Brasil (BITTENCOURT, C. Org.). 2. ed. São Paulo: Contexto, 2012. Dia do Índio nasceu em 1940 no Congresso Interamericano. Disponível em http://educacao.uol.com.br/datas-comemorativas/ult1688u2.jhtm, visto em 19/04/2015.